Guggenheim Bilbao

13 11 2009

Como consequência do projeto de revitalização de Bilbao, iniciado na década de 90, o museu Guggenheim emerge como um dos edifícios mais visitados e comentados no mundo. Por sua arquitetura de alta tecnologia e suas formas inusitadas propostas pelo arquiteto norte-americano Frank Gehry. A execução do museu só se deu devido a utilização de softwares complexos que solucionavam os difíceis cálculos estruturais. Como método de projeto de Gehry foram feitos inumeros modelos e croquis de maquete até que se chegasse a uma composição que agradasse. As placas metálicas da fachada são de titânio curvado, os fechamentos são de pedras e vidro que harmonizam a composição visual. A fachada metálica tem referência no passado da cidade como grande construtora de navios e sendo um importante porto pra Espanha, já sua forma muitos dizem que lembra um navio. O projeto foi altamente criticado por ser considerado mais importante que as obras que estão expostas em seu interior, por seu elevado custo e pelo caráter quase experimental de muitas das inovações usadas em sua construção, que fazem com que os custos de manutenção e limpeza sejam elevados. Dentre as obras expostas estão as da coleção da Fundação Solomon R. Guggenheim do museu de Nova York, do governo basco, obras contemporâneas e grandes nomes como Kandinsky, Picasso, Pollock, De Kooning.

Museu Guggenheim Bilbao
Abandoibarra Etorbidea 2,
48009 Bilbao, Espanha
Telefone: 94 435 90 00‎
http://www.guggenheim-bilbao.es/





10 Hills Place

11 11 2009

Muitas ruas estreitas e becos da Oxford Street, Londres, são atualmente mal utilizados e subdesenvolvidos. Essas áreas são ideais não só para a melhoria, mas também para as oportunidades de desenvolvimento de edifícios de design arrojado. A proposta do escritório Amanda Levete Architects reconhece isso, fornecendo uma intervenção arquitetônica que sutilmente chama a atenção para a construção através da intrigante fachada escultural. Inspirado pela obra do artista Lucio Fontana – um pintor e escultor argentino-italiano – grandes áreas envidraçadas orientadas para o céu são cortados na fachada, maximizando a luz natural disponível nesta rua estreita. Esta forma escultural é conseguida usando um sistema de perfis de alumínio utilizados na produção de cascos de navios de alta qualidade. A fachada é fabricada usando perfis de alumínio curvado de 140 milímetros de largura, que estão ligados entre si, usando uma língua e um sistema de encaixe, garantindo estanqueidade e eficiência da construção. O acabamento em metálico prateado é uma tinta de alta performance geralmente usada em grandes iates. O uso de vidro auto-limpante e um detalhe engenhoso de calhas escondidos dentro das pálpebras garante uma fachada de baixa manutenção. O piso térreo é fechado por uma camada sanduíche de vidro laminado e no meio deles é colocada uma malha de aço inoxidável e semi opaco sobre um filme dicromático. Esta é iluminada por trás, utilizando fibra óptica para gerar um padrão de cor e proporcionar interesse visual, dinâmica e uma sensação de profundidade ao que de outra forma seria uma parede em branco. No prédio irão funcionar lojas, no térreo e escritórios nos andares superiores.

10 Hills Place
Oxford Street
Westminster, London, UK
http://www.amandalevetearchitects.com/





Viaduto de Millau

4 11 2009

O Viaduto de Millau foi inaugurado em 14 de dezembro de 2004 no sudoeste da França. Ela se localiza sobre o vale do rio Tarn, próximo a Millau, ligando a região de Clermont-Ferrand, Languedoc e a Espanha. Seu projeto é do arquiteto inglês Norman Foster em parceria com o engenheiros francês especializado em estruturas, Michel Virlogeux. A ponte tem 343 metros de altura e supera a Torrei Eiffel em altura, se tornando o maior viaduto para veículos do mundo. A construção consumiu 394 milhões de euros e foi feita por um consórcio de empresas francesas. A construção do piso do viaduto foi feita no solo, no final da ponte e deslocado de uma torre até outra por um sistema computadorizado que acionava os atuadores hidráulicos. A decisão da construção de uma ponte deveu-se a excessivos congestionamentos causados por quem necessitasse atravessar o vale, tendo que descer até o Rio Tarn e foram realizados quatro estudos a fim de buscar a melhor solução:

  • Atravessar Millau pelo leste, em duas largas pontes acima do Tarn e o Dourbie;
  • Atravessar Millau pelo oeste, a 12 km de distância, sendo necessárias quatro pontes;
  • Seguir o traçado da Route Nationale 9, provendo bom acesso a Millau, mas ao custo de dificuldades técnicas e intromissões na cidade; e finalmente;
  • Atravessar o meio do vale.

Após a escolha de se contruir um viaduto no ponto mais alto da travessia foram selecionados os contrutores, responsáveis pela solução técnica a ser adotada, o conceito ficou a cargo do projetista Michel Virlogeux.

Viaduc de Millau
17, Avenue de la République, 12100 Millau, Aveyron, France
05 65 60 02 42
http://www.leviaducdemillau.com