Guggenheim Bilbao

13 11 2009

Como consequência do projeto de revitalização de Bilbao, iniciado na década de 90, o museu Guggenheim emerge como um dos edifícios mais visitados e comentados no mundo. Por sua arquitetura de alta tecnologia e suas formas inusitadas propostas pelo arquiteto norte-americano Frank Gehry. A execução do museu só se deu devido a utilização de softwares complexos que solucionavam os difíceis cálculos estruturais. Como método de projeto de Gehry foram feitos inumeros modelos e croquis de maquete até que se chegasse a uma composição que agradasse. As placas metálicas da fachada são de titânio curvado, os fechamentos são de pedras e vidro que harmonizam a composição visual. A fachada metálica tem referência no passado da cidade como grande construtora de navios e sendo um importante porto pra Espanha, já sua forma muitos dizem que lembra um navio. O projeto foi altamente criticado por ser considerado mais importante que as obras que estão expostas em seu interior, por seu elevado custo e pelo caráter quase experimental de muitas das inovações usadas em sua construção, que fazem com que os custos de manutenção e limpeza sejam elevados. Dentre as obras expostas estão as da coleção da Fundação Solomon R. Guggenheim do museu de Nova York, do governo basco, obras contemporâneas e grandes nomes como Kandinsky, Picasso, Pollock, De Kooning.

Museu Guggenheim Bilbao
Abandoibarra Etorbidea 2,
48009 Bilbao, Espanha
Telefone: 94 435 90 00‎
http://www.guggenheim-bilbao.es/





10 Hills Place

11 11 2009

Muitas ruas estreitas e becos da Oxford Street, Londres, são atualmente mal utilizados e subdesenvolvidos. Essas áreas são ideais não só para a melhoria, mas também para as oportunidades de desenvolvimento de edifícios de design arrojado. A proposta do escritório Amanda Levete Architects reconhece isso, fornecendo uma intervenção arquitetônica que sutilmente chama a atenção para a construção através da intrigante fachada escultural. Inspirado pela obra do artista Lucio Fontana – um pintor e escultor argentino-italiano – grandes áreas envidraçadas orientadas para o céu são cortados na fachada, maximizando a luz natural disponível nesta rua estreita. Esta forma escultural é conseguida usando um sistema de perfis de alumínio utilizados na produção de cascos de navios de alta qualidade. A fachada é fabricada usando perfis de alumínio curvado de 140 milímetros de largura, que estão ligados entre si, usando uma língua e um sistema de encaixe, garantindo estanqueidade e eficiência da construção. O acabamento em metálico prateado é uma tinta de alta performance geralmente usada em grandes iates. O uso de vidro auto-limpante e um detalhe engenhoso de calhas escondidos dentro das pálpebras garante uma fachada de baixa manutenção. O piso térreo é fechado por uma camada sanduíche de vidro laminado e no meio deles é colocada uma malha de aço inoxidável e semi opaco sobre um filme dicromático. Esta é iluminada por trás, utilizando fibra óptica para gerar um padrão de cor e proporcionar interesse visual, dinâmica e uma sensação de profundidade ao que de outra forma seria uma parede em branco. No prédio irão funcionar lojas, no térreo e escritórios nos andares superiores.

10 Hills Place
Oxford Street
Westminster, London, UK
http://www.amandalevetearchitects.com/





Viaduto de Millau

4 11 2009

O Viaduto de Millau foi inaugurado em 14 de dezembro de 2004 no sudoeste da França. Ela se localiza sobre o vale do rio Tarn, próximo a Millau, ligando a região de Clermont-Ferrand, Languedoc e a Espanha. Seu projeto é do arquiteto inglês Norman Foster em parceria com o engenheiros francês especializado em estruturas, Michel Virlogeux. A ponte tem 343 metros de altura e supera a Torrei Eiffel em altura, se tornando o maior viaduto para veículos do mundo. A construção consumiu 394 milhões de euros e foi feita por um consórcio de empresas francesas. A construção do piso do viaduto foi feita no solo, no final da ponte e deslocado de uma torre até outra por um sistema computadorizado que acionava os atuadores hidráulicos. A decisão da construção de uma ponte deveu-se a excessivos congestionamentos causados por quem necessitasse atravessar o vale, tendo que descer até o Rio Tarn e foram realizados quatro estudos a fim de buscar a melhor solução:

  • Atravessar Millau pelo leste, em duas largas pontes acima do Tarn e o Dourbie;
  • Atravessar Millau pelo oeste, a 12 km de distância, sendo necessárias quatro pontes;
  • Seguir o traçado da Route Nationale 9, provendo bom acesso a Millau, mas ao custo de dificuldades técnicas e intromissões na cidade; e finalmente;
  • Atravessar o meio do vale.

Após a escolha de se contruir um viaduto no ponto mais alto da travessia foram selecionados os contrutores, responsáveis pela solução técnica a ser adotada, o conceito ficou a cargo do projetista Michel Virlogeux.

Viaduc de Millau
17, Avenue de la République, 12100 Millau, Aveyron, France
05 65 60 02 42
http://www.leviaducdemillau.com





Melbourne Recital Centre

28 10 2009

O Centro de Recitais de Melbourne é o segundo maior auditório para apresentações de música clássica de Melbourne. Ele faz parte de um complexo de artes junto com o MTC Theatre Complex e foi inaugurado em 2009. O projeto é bastante ousado, a começar pela concepção dos arquitetos do escritório australiano ARM (Ashton Raggatt McDougall) ao procurarem uma forma significativa de se construir casas de recitais no século XXI que tivessem uma ótima performance acústica. Os arquitetos partiram da tradicional forma de “caixa de sapato”, pois é a forma que os especialistas dizem ter melhor acústica e a partir daí começaram uma batalha desesperadora para negar essa forma. O complexo é formado por dois auditórios, um foyer chamado de The Salon e a sala de espetáculos com capacidade para 1000 pessoas. O palco do salão principal tem de 135m² e pode ser ampliado, adicionando a ele mais 51m², quando necessário, isso acomoda 45 músicos confortávelmente, porém não é indicado para apresentações de orquestras e sim de grupos pequenos.

Melbourne Recital Centre
Cnr Southbank Blv & Sturt St
Southbank VIC 3006, Australia
61 3 9699 3333
http://www.melbournerecital.com.au





Nokia Flagship São Paulo

27 10 2009

A loja Nokia Flagship de São Paulo, foi a primeira loja conceito da marca inaugurada na América Latina. O ambiente foi projetado pelo escritório MW Arquitetura. A loja tem como objetivo fazer com que o visitante entre no mundo da convergência digital, através da integração visual, tátil e sonoro. Esta integração se dá através de sistemas multimídia que são sincronizados com os aparelhos expostos, com a iluminação e com o sistema sonoro, com o objetivo de fazer com que o cliente possa ver as possibilidades dos aparelhos. A Flagship é dividida em dois ambientes, a área de vendas e o discover lounge, entre estas duas áreas há um ambiente com paredes verdes e poltronas, contrapondo a tecnologia com a natureza. É possível identificar a loja rapidamente da rua por sua iluminação de LEDs que mudam de cor através da automação. Essas características fazem com que o cliente e o visitante entrem em contato com um conceito diferente de loja de celular.

Nokia Store SP
Rua Oscar Freire, 849
Jardins – São Paulo/SP
Funcionamento: de 2ª a 6ª feira, das 10h às 20h, e aos sábados, das 10h às 19h.
http://www.nokia.com.br/loja/nokia-store-sp





Neuschwanstein

26 10 2009

O Schloss Neuschwanstein se encontra próximo a cidade de Füssen e Hohenschwangau, no sudoeste da Bavária, na Alemanha. Sua construção começou em 1869 idealizado pelo Rei Ludwig II inspirado pelas operas do compositor Richard Wagner. O castelo não foi desenhado por um arquiteto, mas sim por Christian Jank, um desenhista de cenários teatrais. O castelo não foi concluído, pois o Rei morreu durante a sua construção, apenas 14 salas salas foram finalizadas, as demais permanecem sem decoração. Umas das salas construídas é a Sala dos Cantores que foi construída especialmente para Richard Wagner apresentar suas peças. O castelo fica no topo do desfiladeiro de Pollat, a subida pode ser feita de ônibus, charrete e a pé. As visitas têm hora marcada e são feitas em grupos com guias.

Neuschwanstein
Schlossverwaltung Neuschwanstein
Neuschwansteinstraße 20
D-87645 Schwangau
www.neuschwantein.de







Estação da Luz

23 10 2009

A primeira Estação da Luz foi construída em 1867 pela Estrada de Ferro Inglesa, a São Paulo Railway, e ligava Jundiaí, interior de São Paulo e Santos. Com a expansão das exportações de café, a estação ficou pequena para transportar o volume de mercadorias até o porto de Santos e em 1895 a próspera companhia São Paulo Railway começa, no mesmo local, a construção de uma outra estação, maior e mais imponente. A nova construção foi projetada pelo arquiteto inglês Charles Henry Driver, em estilo neoclássico. Todos os materiais utilizados na construção foram importados da Europa, assim a Estação da Luz foi apenas montada aqui. Em 1946 um incêndio criminoso destruiu uma grande parte da estação restando apenas a ala oeste. Em 1947 a companhia proprietária da estação é nacionalizada com o nome Estrada de Ferro Santos-Jundiaí. Em 1951 ficam prontas as obras de restauração do edifício incendiado, adicionando a ele um outro pavimento e uma plataforma central para utilização do trem metropolitano. A partir desse período o transporte ferroviário entra em decadência no Brasil e com isso a estação e todo o bairro da Luz entram num processo de degradação. Nas décadas de 90 e 2000 a estação passa por um processo de reformas emcabeçadas pelo arquiteto Paulo Mendes da Rocha e a partir daí passa a abrigar o Museu da Língua Portuguesa em seu mezanino. Hoje a Estação da Luz é uma importante ligação do centro de São Paulo com o resto da região metropolitana por interligar as linhas de metro e trem e destaca-se como exemplo de preservação do patrimônio histórico, tendo sido tombada pelo Condephaat em 1982.

Estação da Luz
Praça da Luz, 1
Luz – São Paulo (Metrô Luz)
Telefone: 0800-55-0121
www.estacaodaluz.org.br
Horário: todos os dias, das 4h às 24h